fbpx

Teresa Cristina diz que arroz não vai faltar e confirma importação até final do ano

A ministra da Agricultura, Teresa Cristina, pediu tranquilidade à população e disse que não haverá problemas de abastecimento de arroz e de outros produtos que estão na mesa dos brasileiros. “Tivemos alguns problemas com esse produto. No passado, o arroz teve um preço muito baixo durante muitos anos. Tivemos uma queda na área de produção, então, hoje, ele tem um preço mais alto. Mas ele está nas prateleiras e vai continuar”, disse a ministra.

Segundo ela, o governo já tomou as medidas que podiam ser feitas para dar estabilidade e equilíbrio ao preço do arroz. “O Brasil tirou a alíquota de importação para que o produto de fora pudesse entrar. É uma cota de reserva para que possamos ter tranquilidade de que o preço vai voltar e ser equilibrado”, afirmou a ministra.

Segundo a ministra, o governo tomou todas as medidas necessárias para fazer a estabilidade e o equilíbrio para esse produto. Ontem (9) o Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex) decidiu zerar a alíquota do imposto de importação para o arroz em casca e beneficiado até 31 de dezembro deste ano.

Mais cedo, em entrevista à Rádio Gaúcha, a ministra disse que o arroz deverá ser importado basicamente dos Estados Unidos e da Tailândia. “São os dois países que podem exportar para o Brasil, porque é o mesmo tipo de arroz que o brasileiro tem o hábito de consumir”, disse.

Na última terça-feira, a Câmara de Comércio Exterior (Camex) anunciou a redução total da alíquota de importação para uma cota de 400 mil toneladas de arroz até o fim deste ano.

Além da abertura do mercado para o arroz do exterior, o Ministério da Economia está monitorando os preços, inclusive de outros produtos como o da construção civil, atribuição que sempre foi de responsabilidade da Secretaria de Política Econômica (SPE).

Fonte: Estadão conteúdo