fbpx

Governador destaca o setor florestal na economia do Paraná

O governador Carlos Massa Ratinho Junior participou nesta segunda-feira (30), em Curitiba, da abertura do Congresso Mundial da União Internacional de Organizações de Pesquisa Florestal, (IUFRO, da sigla em inglês). Esta é a 25a edição do evento e a primeira vez que acontece na América Latina, reunindo cerca de 3,2 mil pesquisadores, de 114 países.

Ratinho Junior, destacou a dimensão e a importância do setor florestal para a economia do Paraná. O detém 13% da base florestal brasileira, com cerca de 1,1 milhão de hectares de floresta plantada, e a maior área de pinus do País, com 660 mil hectares.



“Desde a década de 1960, o Paraná tem um trabalho de florestamento muito importante, com a participação de grandes grupos industriais de papel, celulose e do setor moveleiro, que geram muitos empregos e fazem do Paraná um dos grandes produtores florestais do Brasil”, afirmou Ratinho Junior.

O setor gera 96 mil empregos diretos no Estado, que abriga todos os elos da cadeia produtiva, desde o plantio até as indústrias de madeira, papel, celulose, móveis e diversos artefatos. Em 2018, as exportações dos produtos derivados da madeira chegaram a 2,6 bilhões de dólares (R$ 10,8 bilhões), 13% de todas as exportações paranaenses.

Fortalecer – O governador lembrou que o Paraná concentra importantes indústrias do setor e citou a ampliação da fábrica da Klabin em Ortigueira, que receberá investimentos de R$ 9 bilhões. Institutos de pesquisas, como a Embrapa Florestas, também contribuem para tornar a área florestal ainda mais competitiva.

“É uma base econômica muito forte no nosso Estado e toda a produção, desde a matéria-prima até a parte industrial, tem crescido muito. Nosso papel é fortalecer o setor, incentivar cada vez mais pesquisas, apoiar e criar um ambiente saudável para que os grandes industriais invistam no Estado”, completou o governador.

Ampliar – Para o secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, o Paraná tem condições de ampliar ainda mais a produção na área. “O Brasil tem uma cadeia produtiva completa e organizada, e o Paraná se destaca nesse setor. Fazemos praticamente todos os usos possíveis da madeira. Temos clima e solo o ano inteiro, que contribui com nossa capacidade de produção de espécies para o uso industrial da madeira”, explicou.

A tendência é de crescimento, ressaltou Ortigara. “Celulose tende a crescer cerca de 30% nos próximos dois anos, papel um pouco menos, e a nossa capacidade de exportar também vai aumentar, principalmente com os megaempreendimentos que estão sendo feitos no Paraná”, afirmou.

Congresso – Diversos aspectos ligados à pesquisa florestal estão sendo discutidos no evento, que segue até a quinta-feira (5) na ExpoUnimed, em Curitiba. O tema desta edição é Pesquisa Florestal e Cooperação para o Desenvolvimento Sustentável.

O congresso é promovido pela IUFRO, entidade não governamental e sem fins lucrativos, criada em 1892. É uma rede global de cooperação em ciências florestais que reúne mais de 15 mil cientistas em quase 700 organizações associadas, em 126 países.

A IUFRO também é parte da Parceria Colaborativa em Florestas, um grupo formado no âmbito do Fórum de Florestas das Nações Unidas (UNFF) e que reúne 14 organizações internacionais, instituições e secretariados de convenções internacionais em torno da agenda global sobre florestas.

A instituição promove mais de 70 reuniões técnico-científicas por ano. Realiza também congressos regionais e, a cada cinco anos, o Congresso Mundial, que é o seu principal evento. O primeiro aconteceu em Viena, na Áustria, em 1893. São eventos interdisciplinares que reúnem cientistas, professores, estudantes, empresas florestais e representantes do setor público. O objetivo é criar em áreas prioritárias de pesquisa, política e gestão florestal.


SEGURO AGRÍCOLA
Com a necessidade do produtor rural ter um seguro de lavoura sem burocracia, de fácil contratação e que protegesse seus altos investimentos contra intempéries climáticas, a SEGURAGRO inovou os serviços de atendimento e assessoria na contratação de seguro agrícola de lavouras para culturas de soja, milho, trigo, feijão, café, cana-de-açúcar e outras culturas.

SAIBA MAIS SOBRE SEGUROS AGRÍCOLAS

Fonte: Deral