fbpx

Falta de política agrícola agravou situação dos produtores de arroz

Com a recente alta no preço dos alimentos, entre eles, arroz, feijão, carnes e leite, muitos já questionam se o governo federal poderá intervir na situação, para amenizar este o cenário. Para o comentarista Benedito Rosa, não existe uma equação simples quando se fala em melhor remuneração aos produtores e preços mais competitivos nas gondolas dos supermercados.

“Nós tivemos um primeiro semestre atípico para a agronegócio de forma geral. O dólar elevado significou mais vantagens para produtores e indústrias que exportam e itens como o milho tiveram uma demanda mais fraca no mercado interno. No entanto, esse desequilíbrio entre oferta e procura não ocorre o tempo todo, ele tende a estabilizar”, analisa.

No caso das expressivas altas no preço do arroz, Benedito Rosa ressalta que a questão é estrutural, onde produtores vem solicitando apoio governamental há tempos. “Não é de hoje que produtores do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina reclamam de uma concorrência desleal do produto que vem da Argentina. Esse desestímulo à produção nacional de arroz existe há muito tempo e deveria estar na pauta do governo antes de estourar toda essa crise”.

Ainda segundo o comentarista, os produtores rurais dentro deste contexto estão isentos de qualquer culpa pela inflação dos alimentos. “Eles estão produzindo mais e vendendo para quem paga mais. Nesse ponto a indústria pode contribuir, ajudando a carregar os estoques e fazendo compras antecipadas, algo que não vem acontecendo”.

Fonte: CANAL RURAL