fbpx

Empresa francesa usa substância da Amazônia em perfume

Óleo essencial extraído do pau-rosa é usado por perfumistas do mundo todo. A espécie está em extinção

Os chamados óleos essenciais e lipídicos não são usados apenas na medicina alternativa e em receitas caseiras. Em grandes laboratórios são matéria-prima de medicamentos e de produtos como cremes, maquiagem e perfumaria. Óleos essenciais são aquele extraídos das plantas, por meio de um destilador. Já os óleos lipídicos são extraídos pelo processo de esmagamento de sementes.

Pesquisas muito importantes são realizadas pelo IAC – Instituto Agronômico de Campinas. O IAC possuiu uma das mais antigas e importantes coleção de plantas medicinais e aromáticas do Brasil. Na coleção se encontra-se remédios, corantes, perfumes e muitos sabores. Apesar de tantas pesquisas, muitas plantas ainda têm substâncias desconhecidas.

O Instituto é autor de várias pesquisas com os óleos para a indústria cosmética e farmacêutica. Dentre as pesquisas, está o linalol natural, presente na fórmula de perfumes famosos, como o Chanel nº 5, que ganhou destaque como o favorito da atriz Marilyn Monroe.



Amostras de óleos essenciais IAC. Foto: Thiago Arruda

O linalol é um componente do óleo extraído de uma espécie da flora amazônica, o pau-rosa.

História

O grande interesse pelo linalol na década de 1960, elevou o preço da substância e assim surgiram produtos sintéticos. Apesar disso, indústrias da perfumaria fina continuaram em busca do produto autêntico.

Assim, em 1990, o IBAMA proibiu o corte e extração do pau-rosa, porém as empresas conseguiram na Justiça o direito de manter a exploração até hoje e perfumistas do mundo inteiro usam a matéria-prima que vem da Amazônia, fazendo com que a árvore “pau-rosa” entrasse para a lista de espécies em extinção.

Fonte: Assessoria de Imprensa