fbpx

Demanda mundial de carne é oportunidade para o Brasil

Essa é a avaliação dos CEOs de três entre as maiores empresas do setor no país: BRF, JBS e Aurora Alimentos.

O crescimento da população mundial aumentou também demanda global de carne, o que pode representar uma grande oportunidade para o Brasil, segundo CEOs que se apresentaram no Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura (SIAVS). De acordo com a CarneTec Brasil, o Brasil reúne condições de qualidade e sanidade para alavancar sua produção e exportação. 

“Essa é a avaliação dos CEOs de três entre as maiores empresas do setor no país: BRF, JBS e Aurora Alimentos. Os executivos compartilharam suas análises e prognósticos durante o segundo dia do Salão Internacional de Avicultura e Suinocultura (SIAVS), na quarta-feira (28), na capital paulista. Promovido pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA)”, diz o portal especializado.

CEO Global da JBS, Gilberto Tomazoni chamou a atenção para um dado estatístico: até 2050, o planeta demandará 70% mais de proteína animal do que é ofertado hoje. “O mundo vive um momento especial para as proteínas, com aumento do consumo. O desafio é estarmos preparados para atender a essa demanda”, ressaltou. As informações são da assessoria de imprensa do evento.

“O consumidor está cada vez mais exigente e consciente. Precisamos estar superfocados nessa nova geração, que busca uma alimentação mais saudável, se preocupa com o ambiente e com o bem-estar animal e quer garantia de origem”, completa ele.

Além disso, o CEO Global da BRF, Lorival Luz, salientou que o ritmo acelerado de expansão vem das economias emergentes, como China e Índia.

“Temos uma grande oportunidade de nos posicionarmos adequadamente para atender a esse crescimento. Nossa credibilidade e imagem vão fazer com que o Brasil consiga aproveitar as oportunidades”, afirmou o executivo. “O desafio é atender à demanda mundial com regras de food safety e em linha com exigências dos principais mercados e clientes. É um movimento que leva tempo e exige maturidade”, complementou. 

Fonte: Agrolink