fbpx

Daoud: Invasões de terra caíram com Bolsonaro e o Brasil deve comemorar

Com o início do governo Bolsonaro, Daoud entende que houve um desligamento do poder público com os movimentos populares que provocavam as invasões

O presidente Jair Bolsonaro comemorou nesta quarta-feira, 11, a redução do número de invasões feitas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em propriedades rurais de todo do Brasil. Desde o início do seu mandato foram apenas cinco invasões, contra 145 nos primeiros quatro anos do governo Fernando Henrique Cardoso, 222 nos quatro primeiros anos do governo Lula e 2000 nos quatro primeiros anos do governo Dilma.“A propriedade privada é Sagrada e o estado tem o dever de preservá-la”, disse Bolsonaro em seu Twitter.

Para o comentarista Miguel Daoud, esse número demonstra como a questão da invasão de terra sempre foi alimentada por governos passados como forma de sustentação política e que essa mudança de postura é, sim, motivo para comemoração. “Havia muito dinheiro nessa história e certos setores que apoiavam o governos utilizavam esse artifício das invasões para garantir a base de sustentação política”, contou.

Com o início do governo Bolsonaro, Daoud entende que houve um desligamento do governo com os movimentos populares que provocavam as invasões. “Essa alegação de que era para reforma agrária sempre foi balela. Um mote da esquerda que arregimentava pessoas que não tinham nada a ver com a terra para fazer esses atos”, falou.

Para Miguel Daoud, o governo Bolsonaro tem mesmo que comemorar a diminuição de casos de invasão de terra “É um valor incrível para a agricultura, pois o Brasil precisa de segurança fundiária para poder crescer e atender a demanda que virá pela frente”.

Fonte: Canal Rural