fbpx

Dados da exportação de carne bovina na primeira semana de julho mostram que queda do dólar pouco influenciou na demanda internacional

Nesta segunda-feira (12), a Secretaria de Comércio Exterior (Camex) reportou que os volumes embarcados de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada registraram um bom desempenho. De acordo com o Analista de Mercado da Scot Consultoria, Rodrigo Queiroz, a volatilidade do dólar das últimas semanas não impactou os embarques de carne bovina nesta segunda semana de julho.

“O Brasil teve um aumento do volume embarcado de 2,9% e chegou a uma média diária de 7,5 mil toneladas. No faturamento, o preço da tonelada teve um ganho significativo  de 31,3% frente ao que foi observado no ano passado”, destacou.

As referências para a arroba no estado de São Paulo seguem com estabilidade no mercado físico. Por outro lado, na região de Campo Grande/MS e Sudeste do Mato Grosso houve queda de até R$ 1,00/@ em todas as categorias de animais. “É importante destacar que não temos  espaço para quedas maiores nos preços devido a oferta restrita de animais”, informou.

Algumas indústrias estão fora das compras nesta semana, já que conseguiram alongar as programações de abate. “As escalas atendem a média de 7 a 8 dias e os frigoríficos optaram por segurar as compras e acompanhar o escoamento da carne no mercado interno”, comentou.

Fonte: Notícias Agrícolas - Aleksander Horta e Andressa Simão