fbpx

Cultivo de mandioca ganha eficiência e movimenta economia no Paraná

Os profissionais do IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater) vêm trabalhando para melhorar a eficiência e modernizar o sistema produtivo da mandioca, levando aos produtores novas práticas como o plantio direto e o plantio de novos cultivares. Em Janiópolis, Noroeste do estado, o cultivo de soja e milho é predominante, mas a cultura da mandioca desempenha um papel importante na economia do município. Na safra 2019/2020 foram cultivados 600 hectares com a cultura, envolvendo 40 famílias.

O trabalho do IDR-Paraná com a cultura da mandioca em Janiópolis começou em 2012 quando foi criado o Projeto Mandioca Renda. A estratégia dos extensionistas para melhorar o rendimento dos cultivos foi introduzir cultivares que atendessem as necessidades dos agricultores e da indústria. Os produtores também foram orientados a fazer o plantio em conformidade com as recomendações do zoneamento agroclimático, diminuindo os riscos com a lavoura. A mecanização de plantio foi incentivada com a aquisição de plantadeiras e equipamentos para a colheita. Outra ação dos extensionistas foi mostrar aos produtores a importância do uso de fertilizantes no plantio e em cobertura. Desde a implantação do projeto o plantio direto da mandioca se consolidou no município. Além disso, a mandioca passou a ser usada com mais frequência na alimentação humana e animal.

De acordo com José Claudio do Prado, extensionista do IDR-Paraná, o projeto fortalece as parcerias firmadas com a Seab/IDR-Paraná, prefeitura, Farinheira Bredápolis e Embrapa, bem como com produtores do município. O projeto teve início com a implantação de uma Unidade Demonstrativa de cultivares na propriedade de Fausto Antônio Ferracin. Os extensionistas acompanharam o produtor durante o plantio, a condução, a multiplicação e a avaliação de cultivares e clones da cultura da mandioca.

Em julho deste ano foram concluídos os trabalhos de avaliação de potencial produtivo e de rendimento das raízes para a produção do amido. Os melhores resultados foram obtidos pelos cultivares BRS 420, BRS CS 01 e BRS Formosa que apresentaram aumento médio de 34,50% na produtividade de raiz e incremento médio na receita bruta de R$ 14.065,65, em relação aos demais cultivares e clones avaliados e em comparação ao cultivar IAC 90, o mais plantado atualmente no município.

De acordo com os extensionistas a cultura da mandioca apresenta viabilidade técnica e econômica, proporcionando boa rentabilidade aos agricultores e geração de riqueza para o município. “As ações do Projeto Mandioca Renda agregam conhecimento e aprimoramento técnico nas recomendações e acompanhamento dos mandiocultores”, afirma José Cláudio. Segundo ele, existe potencial de aumento de área da cultura no município e região, inclusive com avaliações e plantio de cultivares de mesa.

Em Janiópolis existe uma agroindústria de derivados de mandioca, na comunidade Bredápolis, que recebe 60 toneladas/dia de raízes e gera cerca de 50 empregos indiretos. Toda a matéria prima é transformada em polvilho doce, polvilho azedo e farinha. A produção é destinada aos mercados do Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais, São Paulo e Bahia. Segundo dados do Departamento de Economia Rural da Seab (DERAL) o Valor Bruto de Produção da cultura foi de R$4.142.103,99 no ano de 2019 no município. Contudo, considerando a industrialização da raiz, a cadeia produtiva da mandioca movimenta aproximadamente R$ 10 milhões de reais ao ano em Janiópolis.

Fonte: IDR-Paraná