fbpx

As notícias para a segunda-feira

Dólar recua no exterior apesar de avanço do coronavírus no mundo

Dólar inicia semana em queda ante moedas fortes no exterior, apesar do avanço do coronavírus ao redor do mundo. A atenção do mercado nesta semana está bastante concentrada no relatório de emprego que será divulgado na quinta-feira, a expectativa é de que a economia americana siga mostrando recuperação das vagas fechadas durante a paralisação das atividades econômicas. No Brasil, o cenário político continua sendo o foco para monitorar o movimento do câmbio.

Boi: arroba chega a R$ 220 em São Paulo



De acordo com levantamento da Scot Consultoria, a arroba está cotada a R$ 220 em São Paulo, bruto e a prazo, uma alta de 12,1% em 30 dias. O quadro geral de oferta limitada de animais terminados e escalas enxutas, com apenas três dias úteis, segue dando ritmo ao mercado.

Para o início de julho, há uma expectativa grande quanto a retomada das atividades de bares e restaurantes em São Paulo programada para início em 6 de julho, que pode sustentar avanço da demanda interna.

Milho: cotações se sustentam acima de R$ 48 em São Paulo; alta do dólar compensa avanço da colheita, diz Agrifatto

Segundo a Somar Meteorologia, o avanço de massa de ar polar a partir de quarta-feira derruba as temperaturas em algumas regiões produtoras. Há inclusive risco de geada em lavouras do Paraná, enquanto que para o Mato Grosso do Sul, apesar do frio intenso, o risco de geadas é menor.

Segundo informações da Agrifatto Consultoria, o milho inicia a semana cotado acima de R$ 48 a saca com o avanço do dólar e vendedores afastados dando o tom e segurando os preços, apesar do avanço da colheita. A expectativa da consultoria é que a pressão da oferta deve ganhar ainda mais força durante as próximas semanas.

Soja: mercado fraco no exterior e cenário doméstico na dependência do câmbio

No exterior, desde que as projeções para a safra americana ficaram em patamar positivo, os preços em Chicago não encontram razões para altas consistentes de acordo com a ARC Mercosul. No Brasil, as cotações seguem dependentes da performance da moeda brasileira.

De acordo com a consultoria, sempre que há desvalorização do real, o interesse mundial pela soja brasileira cresce. Nos portos brasileiros, a saca negocia ao redor dos R$ 115.

Fonte: Caal Rural