fbpx

Abelhas aceleram a floração das plantas mordendo as folhas

A polinização é uma das principais atividades das abelhas. E para isso elas utilizam algumas técnicas que para nós podem parecer diferenciadas. Quando a quantidade de flores é pouca, elas costumam fazer buracos em forma de meia-lua nas folhas das plantas, garantindo a floração antes do período previsto.

Após as plantas serem picadas, elas produzem flores entre duas semanas e um mês antes do esperado. A informação foi confirmada por meio de um estudo, publicado recentemente. Na pesquisa, os pesquisadores tentaram recriar os padrões de mordida das abelhas, utilizando uma pinça de metal e uma navalha, ainda assim, os toques das abelhas foram mais precisos.

Abelhas aceleram a produção de pólen
(Imagem: © Hannier Pulido, De Moraes e Mescher Laboratories)

Existem espécies de plantas que florescem cedo em resposta ao ambiente onde vivem. Mas, poucos estudos foram feitos até agora sobre como o comportamento de animais pode levar as plantas a florescerem antecipadamente. Além disso, durante a pesquisa abelhas foram vistas mastigando folhas.

Abelhas aceleram a produção de pólen

Conforme o autor do estudo o professor de ciência de sistemas ambientais na ETH de Zurique, Mark Mescher, alguns pesquisadores já haviam percebido essa estranha movimentação por parte das abelhas, mas nenhum estudo havia sido produzido. “Tudo começou realmente com a observação do comportamento”, disse.


(Imagem: © Hannier Pulido, De Moraes e Mescher Laboratories)

Em experimentos feitos em laboratórios, as abelhas-de-cauda-amarela pareciam aumentar as mordidas quando ficavam sem pólen. Para quem não sabe, essa substância funciona como alimento para as larvas de abelhas e para as operárias.

Então, decidiram dividir abelhas em dois grupos, um com acesso facilitado ao pólen e outro restrito. Além disso, nos dois ambientes existiam tomates sem flores. Dessa forma, foi identificado que aquelas privadas de pólen atacaram as folhas com bem mais ênfase.

Os pesquisadores fizeram um teste para identificarem se as abelhas não estavam simplesmente comendo as folhas. Assim, colocaram cones de papel embaixo das plantas para colher detritos que caíam. Então puderam identificar que os danos eram semelhantes a meias-luas, esculpidas pelas mandíbulas dos insetos e que nenhum resto foi achado nas colmeias.

Abelhas cortam as folhas em meia lua

(Imagem: © Hannier Pulido, De Moraes e Mescher Laboratories)

Um pouco mais sobre o estudo

Os pesquisadores conseguiram identificar que o comportamento envolvendo mordidas reduzia quando as plantas ao ar livre começavam a florescer. Isso fez com que a ideia envolvendo o aceleramento na produção de pólen ganhasse força.

As abelhas exibem um comportamento conhecido como “roubo de néctar”, onde elas cortam as plantas em partes, obrigando que o néctar passe dos limites de uma flor. Esse é outro indício envolvendo as mordidas.

Conforme o professor de ecologia sensorial e comportamental da Universidade Queen Mary, de Londres, Lars Chittka, essa descoberta pode trazer ótimos benefícios. “Os cientistas poderão realizar o sonho de um horticultor decifrando as vias moleculares pelas quais a floração pode ser acelerada por um mês inteiro”, destacou.

Entender a floração pode auxiliar os agricultores no cultivo de suas plantações.

Fonte: Revista Science