Terça-Feira, 11 de Dezembro de 2018
Clima
Chuvas volumosas no Mato Grosso a partir do dia 3 de outubro, mostram mapas do Inmet
26/09/2017
Começa a chover de forma mais expressiva no Mato Grosso, maior estado produtor de grãos do Brasil, a partir do dia 3 de outubro, de acordo com mapas climáticos do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Os acumulados podem ser de até 50 milímetros em algumas áreas do estado. Assim, os produtores terão melhores condições de iniciarem o plantio da safra de verão.

O modelo Cosmo do Instituto brasileiro mostra as primeiras instabilidades no Brasil central, área que tem enfrentado condições climáticas adversas nos últimos dias, já a partir do fim desta semana, mas apenas com possibilidade de chuvas isoladas em toda a região. Essas instabilidades acontecem com uma frente fria que começa a se formar na quarta-feira (27) no Rio Grande do Sul.

Veja mais:
» Próximas chuvas já dão condições de plantio para a região Sul e parte do MS; MT e GO precisam esperar um pouco mais

Além do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Sudeste, de um modo geral, também serão beneficiados mesmo que ainda tenham chuvas esparsas em algumas localidades durante essa semana, conforme mostra o mapa do Inmet. No Matopiba, região que, geralmente, recebe chuvas mais tarde, não há precipitações previstas até o dia 11 de outubro.

Veja a previsão do Inmet para a Primavera em todas as regiões:

Região Norte
O período de março a julho é considerado o mais chuvoso sobre o extremo norte da região Norte. Entretanto, apresentou um déficit de precipitação em 2017, em particular no noroeste do Amazonas e Pará, além dos estados de Roraima e Amapá. Também foram registrados alguns episódios de friagem, durante os meses de inverno (junho a agosto), que atingiram o Acre, Rondônia e sul do Amazonas.

Para a Primavera, os modelos climáticos indicam que a Região Norte deve apresentar forte variabilidade espacial na distribuição de chuvas, com significativa probabilidade de áreas com chuvas dentro da faixa normal ou acima, exceto nas áreas do sudeste do Pará e Amazonas.

Região Nordeste
Na região Nordeste, durante os meses de inverno, houve um aumento da convergência de umidade oriunda do Atlântico Sul e alguns episódios de Distúrbios Ondulatórios de Leste (DOL), que favoreceram os elevados totais de chuvas no leste da região, principalmente nos estados de Pernambuco, Alagoas, Sergipe, que encontram-se em fase final de sua estação chuvosa. Na parte norte da Região Nordeste a situação foi inversa, pois o volumes de chuvas ficaram abaixo da média nos últimos meses, agravando a situação hídrica, principalmente no estado do Ceará.

A previsão do modelo estatístico do INMET para a Primavera, indica o predomínio de áreas com maior probabilidade de chuvas abaixo da média durante a estação. As temperaturas estarão mais elevadas sobre a região sul do Maranhão e do Piauí e oeste da Bahia.

Região Centro-Oeste
Na Região Centro-Oeste, se destacou o frio intenso ocorrido na segunda quinzena de julho, devido a massa de ar frio que passou pelo Brasil. Ocorreram chuvas mais localizadas nos estados do Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, sendo que, em algumas localidades não houve a ocorrência de chuvas e a umidade relativa foi abaixo de 30% nos horários com temperaturas mais elevadas. Com a chegada da seca nos meses de inverno, os reservatórios do Distrito Federal atingiram o nível de 40%, sendo considerado o pior índice dos últimos 20 anos (Fonte: Correio Braziliense).

A previsão para a Primavera indica alta probabilidade das chuvas ocorrerem acima da normal em grande parte do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, devido a atuação da formação de sistemas de baixa pressão atmosférica, que geralmente estão associados à ocorrência de chuvas regulares e intensas. Nas demais áreas, os acumulados de chuva permanecerão abaixo da média.

Região Sudeste
De forma geral, a distribuição espacial das chuvas durante o inverno seguiu as suas características típicas do período, com ausência de precipitação no interior. Entretanto, foram registradas temperaturas elevadas no final deste inverno em grande parte do Brasil. Durante os meses de junho e julho, foram registrados alguns episódios de geadas com intensidade variando de fraca a moderada nos estados de São Paulo e Minas Gerais.

A previsão para os próximos três meses, indica que devem permanecer áreas com chuvas dentro da faixa normal ou acima nesta estação, exceto em algumas áreas de Minas Gerais e São Paulo. Vale ressaltar que as primeiras chuvas geralmente ocorrem na segunda quinzena de setembro sobre a área central do Brasil, porém as previsões de curto prazo indicam que existe uma tendência de atraso no início da estação chuvosa. De modo geral, os modelos climáticos indicam que as temperaturas devem permanecer acima da média em grande parte da região no mesmo período.

Região Sul
Durante os meses de inverno, algumas cidades de Santa Catarina e Rio Grande do Sul foram atingidas por inundações e tempestades convectivas, devido à passagem de frentes frias. Exceto no mês de julho, que foi marcado por poucas chuvas e predominância de dias quentes e secos consecutivos, resultando um mês com temperatura acima da média, mesmo havendo registro de temperaturas abaixo de zero em algumas localidades da Região Sul.

O prognóstico da Primavera indica que as chuvas devem ficar acima ou dentro da faixa normal nos três estados da região. Devem predominar áreas com temperaturas dentro da faixa normal.
FONTE: Inmet
NOTÍCIAS RELACIONADAS
VER TODAS

Cadastre-se e receba gratuitamente as atualizações do Foco Rural em seu e-mail

Após o preenchimento de seu nome e e-mail, clique no botão CADASTRAR. Você receberá um e-mail para confirmação do cadastro. Caso não receba o e-mail, verifique sua Caixa de Spam. O recebimento de nossa newsletter depende da sua confirmação. Confira nossos Termos de Uso.


Cotações de Commodities fornecidas por Investing.com Brasil.
® 2011-2015. Foco Rural – O homem do campo bem informado. Todos os direitos reservados.
DESENVOLVIDO POR:
X
Enviar notícia por e-mail
*Meu Nome:
*E-mail Rementente:
*E-mail Destinatário: