Domingo, 18 de Novembro de 2018
Logística
Condições de trafegabilidade da BR-158 estão melhores neste ano
04/10/2016
Uma equipe formada por representantes da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), do Movimento Pró-Logística, da Fertilizantes Tocantins e do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) realizaram entre os dias 25 e 30 de setembro o Estradeiro da BR-158.

A rodovia é vista como corredor fundamental para o escoamento de grãos produzidos em Mato Grosso, principalmente na região Leste do Estado. Neste ano, o roteiro partiu de Canarana e passou por São Miguel do Araguaia (GO), Palmas (TO) e Redenção (PA), finalizando em Marabá (PA). Com isso, o grupo percorreu cerca de 1.700 quilômetros.

Diretor executivo do Movimento Pró-Logística, Edeon Vaz Ferreira comparou a expedição com a realizada em 2015 e afirmou que, de maneira geral, houve melhorias.

“A BR-158, comparando ao que vimos no ano passado, apresentou melhorias e em vários trechos boas condições de trafegabilidade para o escoamento de grãos desta safra, havendo necessidade de concluir os serviços ora em execução. Outro ponto positivo é que nos reunimos com produtores rurais de Santana do Araguaia e Redenção, para ouvir preocupações e desafios relativos à logística. Em Redenção, por exemplo, estiveram no local mais de 70 pessoas”, conta.

O grupo também se reuniu com a empresa que presta serviço de balsas no Rio Araguaia, próximo a Caseara, no Tocantins. “A empresa nos mostrou projeto finalizado, já com ordem de serviço para disponibilizar uma nova balsa, que comportará até oito bi trens. Esta rota (Santana do Araguaia – Caseara) dará acesso ao terminal ferroviário de Porto Nacional”, explica Ferreira.

O diretor executivo aponta boas condições na GO-164 até a TO-373. O trecho é importante por ser uma sequência da BR-080 e fazer parte do roteiro até o terminal de grãos que será futuramente instalado em Alvorada do Tocantins.

Terminal e ETC – Além deste futuro terminal em Alvorada, a equipe do Estradeiro visitou o terminal de grãos da VLI, em Porto Nacional (TO). Com capacidade para 2,4 milhões de toneladas, o local fez neste ano apenas 450 mil.

De acordo com a empresa, o número bastante inferior a capacidade se deve aos problemas climáticos que afetaram o estado e, por consequência, a safra. O local ficará vazio até a próxima colheita.

A expedição finalizou a viagem visitando as futuras instalações da Estação de Transbordo de Carga (ETC), em Marabá.

Más condições - Apesar da boa trafegabilidade de maneira geral, o Estradeiro da BR-158 apontou que a MT-326, no trecho de Canarana até a chegada à BR-158, está em más condições. “Começaram a fazer a recuperação da rodovia, mas depois paralisaram e isso nos preocupa. Vamos repassar essa posição para Sinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura) para avaliação”, explica Edeon Vaz Ferreira.

Além desta rodovia estadual, a BR-153 apresentou defeitos na pista. Ainda que representantes do Dnit estiveram presentes, a equipe do Movimento Pró-Logística também encaminhará relatório ao órgão.
FONTE: Ascom Aprosoja
NOTÍCIAS RELACIONADAS
VER TODAS

Cadastre-se e receba gratuitamente as atualizações do Foco Rural em seu e-mail

Após o preenchimento de seu nome e e-mail, clique no botão CADASTRAR. Você receberá um e-mail para confirmação do cadastro. Caso não receba o e-mail, verifique sua Caixa de Spam. O recebimento de nossa newsletter depende da sua confirmação. Confira nossos Termos de Uso.


Cotações de Commodities fornecidas por Investing.com Brasil.
® 2011-2015. Foco Rural – O homem do campo bem informado. Todos os direitos reservados.
DESENVOLVIDO POR:
X
Enviar notícia por e-mail
*Meu Nome:
*E-mail Rementente:
*E-mail Destinatário: