Terça-Feira, 19 de Junho de 2018
Segurança do Trabalho
Doença da folha verde
26/02/2016
A doença da folha verde do tabaco é um tipo de intoxicação aguda causada pela absorção dérmica da nicotina atingindo principalmente agricultores que trabalham com a cultura do tabaco, principalmente no momento da colheita.

Conhecida como GTS (Green Tobacco Sickness) ou DFVT (Doença da Folha Verde do Tabaco) é uma espécie de overdose de nicotina absorvida pela pele, principalmente quando as folhas da planta estão molhadas pela chuva ou orvalho.

Dependendo da quantidade absorvida pode causar sintomas como náuseas, vômitos, dores abdominais e de cabeça, tonturas, flutuações na pressão arterial e frequência cardíaca.

Mesmo os nãos fumantes, os trabalhadores afetados chegam a ter uma quantidade da substância cotinina na urina maior do que a dos fumantes, segundo o Instituto Nacional de Câncer – INCA.

O diagnóstico é feito com base no histórico de exposição ao cultivo de tabaco, análise clínica e dosagem do nível de nicotina no organismo. Esta mensuração é feita por meio da dosagem de cotinina na urina, sangue e saliva. A cotinina consiste em um marcador de exposição para evidenciar o quanto de nicotina foi absorvida pelo organismo. Quando estes valores se encontram acima de 10 ng/ml significa que o indivíduo exposto à nicotina pode desenvolver a DFVT de forma aguda e mais adiante, como consequência, outras doenças relacionadas, como neoplasias (tumor), doença pulmonar obstrutiva crônica, patologias cardiovasculares e abortos.

A prevenção desta doença é feita por meio do uso de equipamentos de proteção individual, como luvas, manga comprida e calça comprida, capas impermeáveis, evitando trabalhar com a planta ou roupas molhadas, bem como nos horários de umidade mais elevada (orvalho da manhã e durante as chuvas).

O ato de higienizar as mãos durante o trabalho também pode ajudar a diminuir a absorção da nicotina pelo organismo.

NR-31 – Segurança e Saúde do Trabalho na agricultura
A Norma Regulamentadora 31 estabelece que os empregadores rurais devem implementar ações de segurança e saúde que visem a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho atendendo a ordem de prioridade: a) eliminar riscos substituindo ou adequando os processos produtivos, máquinas e equipamentos; b) adotar medidas de proteção coletiva para o controle de riscos na fonte e c) adotar medidas de proteção individual (pessoal).
FONTE: Ralph Wagner Marek
NOTÍCIAS RELACIONADAS
VER TODAS

Cadastre-se e receba gratuitamente as atualizações do Foco Rural em seu e-mail

Após o preenchimento de seu nome e e-mail, clique no botão CADASTRAR. Você receberá um e-mail para confirmação do cadastro. Caso não receba o e-mail, verifique sua Caixa de Spam. O recebimento de nossa newsletter depende da sua confirmação. Confira nossos Termos de Uso.


Cotações de Commodities fornecidas por Investing.com Brasil.
® 2011-2015. Foco Rural – O homem do campo bem informado. Todos os direitos reservados.
DESENVOLVIDO POR:
X
Enviar notícia por e-mail
*Meu Nome:
*E-mail Rementente:
*E-mail Destinatário: