Segunda-Feira, 15 de Outubro de 2018
Piscicultura e Aquicultura
Ministro da Pesca visita Laboratório de Piscicultura da Embrapa em Dourados
22/05/2015
Entrada do Laboratório de Piscicultura da Embrapa Agropecuária Oeste - Foto: Alex Sandro Vicentin Lima.
Helder Barbalho disse que as novas instalações do Laboratório de Piscicultura da Embrapa Agropecuária Oeste trarão benefícios para a pesquisa, o produtor e o consumidor.

O Laboratório de Piscicultura da Embrapa Agropecuária Oeste, Unidade da Embrapa em Dourados, MS, passou por uma obra de ampliação e modernização. A finalidade é que a pesquisa contribua para o fortalecimento de cadeias produtivas nos territórios brasileiros, especialmente no Território da Grande Dourados. Na tarde de quinta-feira, 21 de maio, o ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, juntamente com autoridades políticas, veio a Dourados e visitou as novas instalações do Laboratório de Piscicultura da Embrapa Agropecuária Oeste, construída com recursos do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA).

A ampliação da estrutura laboratorial da Piscicultura da Embrapa Agropecuária Oeste é de 500,2 m². O total dos recursos orçamentários e financeiros para a reestruturação em obras civis, instalações e equipamentos foi de R$ 1.209.585,56. Esse aporte veio após a aprovação do projeto Desenvolvimento de tecnologias aplicadas à cadeia do pescado do Território da Grande Dourados, em parceria com outras instituições, aprovado pelo Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA).

Recepcionado pelo chefe geral da Embrapa Agropecuária Oeste, o pesquisador Guilherme Asmus, em companhia dos empregados da Unidade da Embrapa, o ministro conheceu as novas instalações, e se disse satisfeito por ver que os recursos foram bem utilizados em um laboratório que trará benefícios para a cadeia produtiva até o consumidor final. "A Embrapa é um braço estratégico para que as atividades da Agenda do Ministério da Pesca possam ser cumpridas", afirmou durante a visita na Embrapa, e no mesmo dia, na 51ª Expoagro, onde Asmus também esteve presente, Barbalho reiterou: "Parabenizo a Embrapa pelos trabalhos de pesquisa que tem realizado aqui em Mato Grosso do Sul, por ver que a piscicultura é uma alternativa na cadeia produtiva nacional que deve ser olhada com foco".

O chefe geral da Unidade ressaltou ao ministro Barbalho que a piscicultura é um dos núcleos temáticos estratégicos nas pesquisas da Embrapa Agropecuária Oeste. "O setor avançou, gerando novas demandas, e precisa de incentivos para se desenvolver no País. Com isso a necessidade da reformulação do Laboratório e a consolidação da equipe de pesquisa da Embrapa Agropecuária Oeste na área de Piscicultura", disse Asmus.
Laboratório de Piscicultura

A obra de ampliação do Laboratório foi entregue em abril deste ano, e os equipamentos já foram adquiridos. No momento, estão sendo realizadas as necessárias instalações e calibrações para que o Laboratório entre em pleno funcionamento.

Atualmente, os pesquisadores que fazem parte da equipe do Laboratório são Luis Inoue, engenheiro agrônomo, que trabalha com sistemas de produção aquícolas, genética e estresse de peixes, entre outros estudos; Ricardo Borghesi, zootecnista que exerce suas atividades pesquisando o aproveitamento de co-produtos e resíduos, tecnologia do pescado e da nutrição de peixes, entre outros temas; e Tarcila Silva, zootecnista que atua na área de nutrição de peixes de água doce, produção de peixes em tanques-redes e outras pesquisas relacionadas.

Entre os principais equipamentos adquiridos, de acordo com o pesquisador Inoue, estão o sistema de recirculação de água (40 caixas de 600 litros) com aquecimento e resfriamento, filtragem mecânica, biológica e com luz ultravioleta para eliminação de patógenos na água; sistema recirculação de água com 16 aquários de 30 litros com aquecimento, filtragem mecânica e biológica e com luz ultravioleta; bomba calorimétrica e equipamentos de análises de alimentos; e câmara fria.

Segundo os pesquisadores Inoue, Borghesi e Tarcila, os benefícios das novas instalações laboratoriais, tanto para pesquisa quanto para a cadeia produtiva, são a adequação e geração de tecnologias direcionadas a sistemas de produção, considerando principalmente os aspectos sanitários, ambientais, genéticos e de nutrição. "O intuito é elaborar metodologias para coleta de dados pautadas nas Boas Práticas de Manejo e organizar ferramentas para o monitoramento da sanidade das pisciculturas regionais, relacionando o tipo de alimentação e o manejo geral", explica Tarcila.

Borghesi acrescenta que, com a modernização do Laboratório de Piscicultura, será possível estimular o uso racional de alimentos que vão compor as dietas para peixes nas diferentes fases de criação. "O objetivo é reduzir o custo da ração, diminuir o impacto ambiental e melhorar a qualidade do produto e o retorno financeiro ao piscicultor", afirma.
FONTE: Embrapa
NOTÍCIAS RELACIONADAS
VER TODAS

Cadastre-se e receba gratuitamente as atualizações do Foco Rural em seu e-mail

Após o preenchimento de seu nome e e-mail, clique no botão CADASTRAR. Você receberá um e-mail para confirmação do cadastro. Caso não receba o e-mail, verifique sua Caixa de Spam. O recebimento de nossa newsletter depende da sua confirmação. Confira nossos Termos de Uso.


Cotações de Commodities fornecidas por Investing.com Brasil.
® 2011-2015. Foco Rural – O homem do campo bem informado. Todos os direitos reservados.
DESENVOLVIDO POR:
X
Enviar notícia por e-mail
*Meu Nome:
*E-mail Rementente:
*E-mail Destinatário: