Sábado, 23 de Março de 2019
Agronegócio
Com medo de preços baixos em 2019, produtores de soja correm para travar vendas
16/11/2018
Em Minas Gerais, por exemplo, comercializações da safra nova estão muito mais adiantadas que nos anos anteriores.

O dólar em baixa, após a vitória de Bolsonaro e as incertezas sobre o mercado internacional fizeram com que os produtores de soja de Minas Gerais acelerasse a venda antecipada do grão, com receio que os valores recuassem ainda mais no próximo ano.

As plantas recém germinadas ainda terão muito tempo para serem colhidas. Antes mesmo de começar a encher os grãos, 60% do que sair da lavoura de Gustavo Chavaglia Filho já está vendido. Em Uberaba, no Triângulo Mineiro, o produtor rural travou mais da metade da produção, quando o dólar valia quase R$ 4.

“Travamos a soja a R$ 76 por saca e estamos bastante contentes com esse valor. Se pudéssemos vender mais, nós faríamos, mas a incerteza de produção é o que nos limita. Mas estamos satisfeitos com o resultado e vamos em frente”, conta Chavaglia Filho.

A Aprosoja Minas Gerais calcula que 35% da produção estadual foi travada antecipadamente, número é superior à média nacional. A guerra comercial entre Estados Unidos e China também contribuiu para que os produtores negociassem a produção a preços fixos acima de R$ 75 por saca.

“A gente percebe que o produtor aproveitou esses momentos de câmbio e de prêmio em alta para vender e garantir o custo dentro de uma boa relação de troca, né”, afirma o vice presidente Aprosoja Noroeste-MG, Felipe Werlang Silveira.

Na propriedade de Silveira, 45% da produção foi travada. Mas ele diz que outro fator impediu percentuais ainda maiores na negociação antecipada: o tabelamento dos fretes.

“Percebemos que houve uma diferença no valor do disponível para a soja fixada no futuro, em função da dúvida que as tradings tinham em relação ao custo do frete no ano que vem”, diz o representante da Aprosoja.

Os problemas de logística, que não ficam restritos ao tabelamento, não intimidaram o travamento da comercialização de Chavaglia Filho, que agora pensa no preço do restante da produção. “Agora vamos esperar e torcer para a soja subir, mesmo com o dólar em baixa. Para conseguir ter o mesmo valor do travamento que tivemos antes”, diz.
FONTE: Soja Brasil
NOTÍCIAS RELACIONADAS
VER TODAS

Cadastre-se e receba gratuitamente as atualizações do Foco Rural em seu e-mail

Após o preenchimento de seu nome e e-mail, clique no botão CADASTRAR. Você receberá um e-mail para confirmação do cadastro. Caso não receba o e-mail, verifique sua Caixa de Spam. O recebimento de nossa newsletter depende da sua confirmação. Confira nossos Termos de Uso.


Cotações de Commodities fornecidas por Investing.com Brasil.
® 2011-2015. Foco Rural – O homem do campo bem informado. Todos os direitos reservados.
DESENVOLVIDO POR:
X
Enviar notícia por e-mail
*Meu Nome:
*E-mail Rementente:
*E-mail Destinatário: