Sábado, 17 de Novembro de 2018
Pragas e Doenças
3 pragas da soja para dobrar a atenção nesta safra
06/11/2018
Manejo eficiente e nos momentos certos oferece comodidade e ajuda o agricultor que busca a máxima produtividade no campo.

O produtor que busca a máxima produtividade no campo deve dobrar a atenção para pragas que podem comprometer o desempenho nas lavouras. O engenheiro agrônomo da área de Desenvolvimento Técnico de Mercado (DTM) da Syngenta, Edson Sawada, destaca três delas que têm chamado a atenção e acendem o alerta nesta safra:

Percevejos
O percevejo-marrom (Euschistus heros) é um dos principais problemas de quem cultiva a soja. Mas não é só ele que causa estragos na qualidade do grão e no rendimento, pelas picadas ou inoculação de toxinas que causam prejuízos na qualidade industrial. O percevejo verde (Nezara viridula) e o percevejo barriga verde (Dichelops ssp.) também podem trazer sérios impactos na produtividade.

Aliada a outras boas práticas agrícolas, a aplicação de inseticidas é uma aliada para a produtividade quando os percevejos são identificados na lavoura. Garantir a mortalidade dos insetos exige que as aplicações sejam feitas nos momentos certos e em doses adequadas, com uma tecnologia eficiente e especial atenção para a fase de ninfa.

A Syngenta possui em seu portfólio, para o manejo adequado de percevejos na soja, o Engeo Pleno S, evolução do já reconhecido defensivo oferecido pela empresa. Ele se destaca por ser capaz de controlar o percevejo na soja e em outras culturas com a segunda geração da inovadora tecnologia zeon, que mantém o efeito de choque, liberação mais controlada e melhora no efeito residual.

Mosca-branca
A mosca-branca, uma das principais pragas agrícolas das regiões tropicais, com alta incidência na região do cerrado brasileiro, tem afetado de forma crescente as lavouras de soja no Brasil nos últimos anos. “Elas habitam o dossel das plantas e o maior desafio é combatê-las no interior das plantas, onde se escondem”, diz Sawada.

A mosca-branca pode injetar toxinas nas plantas ao sugar a seiva. “Ela também favorece o surgimento de um fungo conhecido como fumagina, que forma uma camada escura sobre as folhas e dificulta a fotossíntese, provocando a desfolha”, explica Sawada. Cada fêmea produz até 300 ovos e o inseto também pode transmitir viroses em culturas sensíveis.

Entre as soluções disponíveis no mercado, a Syngenta possui o inseticida Polo, que tem um meio de ação eficiente nesse sentido, o que garante maior comodidade e eficiência no manejo. O produto se transforma em gás depois de aplicado, eliminando as moscas e protegendo as plantas por inteiro, o que resulta em comodidade no manejo e maior produtividade.

Lagartas
Entre as espécies que merecem atenção do produtor estão a Lagarta helicoverpa (Helicoverpa armigera), a falsa-medideira (Chrysodexis includens) e a Lagarta spodoptera (cosmioides, frugiperda e eridania).

A atenção vale desde o pré-plantio até a colheita. A planta pode ser atacada em estágios de desenvolvimento distintos pelas lagartas e outras pragas. “Fazer o monitoramento e agir rapidamente é o que vai garantir o manejo eficiente”, ressalta Sawada.

FONTE: Syngenta
NOTÍCIAS RELACIONADAS
VER TODAS

Cadastre-se e receba gratuitamente as atualizações do Foco Rural em seu e-mail

Após o preenchimento de seu nome e e-mail, clique no botão CADASTRAR. Você receberá um e-mail para confirmação do cadastro. Caso não receba o e-mail, verifique sua Caixa de Spam. O recebimento de nossa newsletter depende da sua confirmação. Confira nossos Termos de Uso.


Cotações de Commodities fornecidas por Investing.com Brasil.
® 2011-2015. Foco Rural – O homem do campo bem informado. Todos os direitos reservados.
DESENVOLVIDO POR:
X
Enviar notícia por e-mail
*Meu Nome:
*E-mail Rementente:
*E-mail Destinatário: