Sábado, 17 de Novembro de 2018
Pecuária
Saiba como lucrar mais de R$ 460 por hectare ao ano com pecuária de corte
27/09/2018
Mato Grosso é dono do maior rebanho de gado de corte do país, mas isso não significa que todos os pecuaristas tenham boa lucratividade com a produção. Mestre em ciência animal e instrutora credenciada do Senar-MT, a veterinária Géssy Gabriella Caetano lembra que, na maioria das fazendas, ainda é a chamada pecuária tradicional que predomina. Neste modelo, a atividade é baseada no sistema extensivo e os animais só ficam prontos para abate com idades avançadas, ou seja, entre 36 e 40 meses de idade.

Para reduzir o tempo até o abate e alcançar melhores resultados, a especialista recomenda a intensificação da pecuária de corte. O caminho apontado é a adoção de estratégias – algumas bem simples – que possam ajudar a melhorar o desempenho do rebanho. Entre elas, a implantação da estação de monta e a suplementação alimentar dos animais.

A estação de monta é uma das técnicas de “reprodução programada” para o rebanho de corte. A ferramenta visa o aumento da eficiência reprodutiva do plantel. Por meio dela, o produtor pode estabelecer um período de acasalamentos entre os animais, evitando que os touros sejam mantidos com a as vacas durante o ano todo. Isso permite que o pecuarista estabeleça um controle da reprodução do rebanho. É importante realizar testes nos touros (exames andrológico e de libido) 90 dias antes do início da estação. Já as fêmeas devem passar por avaliações por ultrassonografia entre 60 e 90 dias antes do período.

A suplementação também é uma importante ferramenta de intensificação. Ela melhora a conversão alimentar, ajuda a reduzir ciclos de crescimento e a aumentar a capacidade dos sistemas produtivos. Além disso, a eficiência do uso das pastagens aumenta, já que a suplementação suprime a deficiência de nutrientes disponíveis no pasto nas diferentes épocas do ano.

Segundo a instrutora do Senar-MT, um exemplo de que investir na intensificação da pecuária de corte vale a pena, pode ser visto no acompanhamento realizado entre 2017/2018 pela Silveira Consultoria Pecuária/ Inttegra, que envolveu 420 fazendas com foco na pecuária.

A análise mostrou que o lucro médio das propriedades girou em torno de R$ 28,12 por hectare ao ano. No entanto, aquelas que já intensificaram a atividade, conseguiram desempenho muito superior, com lucro de R$ 460,71 por hectare no mesmo período.

Vale lembrar que cada propriedade e cada região têm suas características e particularidades e isso precisa ser levado em conta na hora de definir a (s) melhor (es) estratégia (s) de intensificação. Não existe uma fórmula “única” para quem quer dar este passo. Por isso, é importante que o produtor busque o auxílio de um profissional qualificado para definir o passo a passo a ser seguido em cada fazenda.

O assunto foi destaque no Bom Dia Senar-MT desta quarta-feira, dia 26. A especialista falou sobre os caminhos para o processo de intensificação que pode ajudar a aumentar a rentabilidade da fazenda. Ela lembra que para atingir os resultados esperados é sempre importante ponderar os custos.
FONTE: Canal Rural
NOTÍCIAS RELACIONADAS
VER TODAS

Cadastre-se e receba gratuitamente as atualizações do Foco Rural em seu e-mail

Após o preenchimento de seu nome e e-mail, clique no botão CADASTRAR. Você receberá um e-mail para confirmação do cadastro. Caso não receba o e-mail, verifique sua Caixa de Spam. O recebimento de nossa newsletter depende da sua confirmação. Confira nossos Termos de Uso.


Cotações de Commodities fornecidas por Investing.com Brasil.
® 2011-2015. Foco Rural – O homem do campo bem informado. Todos os direitos reservados.
DESENVOLVIDO POR:
X
Enviar notícia por e-mail
*Meu Nome:
*E-mail Rementente:
*E-mail Destinatário: