Quinta-Feira, 15 de Novembro de 2018
Pesquisa e Desenvolvimento
Penas de frango - dando ao resíduo uma nova vida
13/08/2018
Sarah Montes, cientista pesquisadora da firma espanhola Cidetec, acredita que as penas podem ser transformadas em plático.

Uma empresa espanhola está procurando usar penas de galinha como uma forma de plástico para dar ao resíduo tradicional uma nova vida. Estima-se que a indústria avícola européia gerou cerca de 3,1 milhões de toneladas de penas descartadas em 2014. Mas agora Sarah Montes, cientista pesquisadora da firma espanhola Cidetec, acredita que as penas podem ser transformadas.

Os resíduos de penas de frango, que são gerados em quase todo o mundo em grandes quantidades, são normalmente incinerados ou acabam em aterros ou como ração animal de baixa qualidade. Mas ela argumenta que tem potencial para ser um recurso valioso. As penas são constituídas por 90% de queratina - a mesma proteína fibrosa que dá aos pelos, cascos e chifres sua resistência.

"A maior parte do lixo é um material lucrativo", disse ela. Devido ao seu alto teor de queratina, as penas tendem a produzir plásticos mais resistentes ao rasgão do que aqueles que usam amido modificado ou proteínas vegetais, por exemplo.

Montes, que está coordenando um projeto chamado KARMA2020 , que estuda como transformar penas indesejadas em plásticos biodegradáveis, disse que há desafios pela frente no uso de penas como matéria-prima.

Remova quaisquer patógenos
Primeiro, as penas precisam ser higienizadas antes do processamento para remover quaisquer patógenos. "Como as penas também são muito leves, pode ser difícil fazer com que elas passem por máquinas", disse o engenheiro de projeto Carsten Niermann, da empresa alemã de plásticos FKuR.

A meio caminho do projeto de três anos da Comissão Europeia Horizon, a equipe descobriu como tratar as penas de modo a que se fiquem limpas e seguras para manusear e como as transformar numa matéria-prima.

Matérias-primas à base de penas
Eles também criaram amostras de materiais baseados em penas que poderiam ser usados ??para embalagem, usando um processo onde o material aquecido é injetado em um molde para moldá-lo. Seu próximo desafio é ampliar o processo de produção industrial e testar como as matérias-primas baseadas em penas funcionam em determinados produtos finais. Atualmente, os pesquisadores estão analisando como fazer embalagens de alimentos a partir de penas, embora também estejam desenvolvendo outras aplicações, como fertilizantes de liberação lenta, materiais compostos e revestimentos retardadores de chama, dependendo da viabilidade econômica e técnica.

Economia circular
A empresa acredita que a demanda por produtos da economia circular - onde subprodutos de uma indústria são usados ??como matéria-prima de outra - poderia se beneficiar de um fenômeno conhecido como consumismo consciente. Um relatório da Unilever publicado no ano passado mostrou que um terço dos consumidores preferia marcas sustentáveis.


Leia mais sobre esse assunto em https://www.aviculturaindustrial.com.br/imprensa/penas-de-frango-dando-ao-residuo-uma-nova-vida/20180813-084615-W600
© 2018. Todos direitos reservados a Gessulli Agribusiness. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.
FONTE: AVI
NOTÍCIAS RELACIONADAS
VER TODAS

Cadastre-se e receba gratuitamente as atualizações do Foco Rural em seu e-mail

Após o preenchimento de seu nome e e-mail, clique no botão CADASTRAR. Você receberá um e-mail para confirmação do cadastro. Caso não receba o e-mail, verifique sua Caixa de Spam. O recebimento de nossa newsletter depende da sua confirmação. Confira nossos Termos de Uso.


Cotações de Commodities fornecidas por Investing.com Brasil.
® 2011-2015. Foco Rural – O homem do campo bem informado. Todos os direitos reservados.
DESENVOLVIDO POR:
X
Enviar notícia por e-mail
*Meu Nome:
*E-mail Rementente:
*E-mail Destinatário: