Quarta-Feira, 17 de Outubro de 2018
Aviação Agrícola
Pulverização aérea: mais eficiência e segurança
23/02/2018
Tecnologia, que é proibida em alguns municípios do estado, possui diversas vantagens.
A pulverização aérea, método de aplicação e dispersão de insumos agrícolas, sólidos ou líquidos, por meio de aeronaves especializadas, é uma tecnologia utilizada no Brasil há 70 anos. Apesar da legislação federal de 1969 regulamentar a atividade, no Espírito Santo, algumas leis municipais impedem os produtores de usarem a tecnologia.

A pulverização é uma técnica rápida e que aumenta a eficiência dos produtos aplicados. Segundo o engenheiro agrônomo e gerente executivo da Federação de Agricultura do Espírito Santo (Faes), Murilo Pedroni, a Federação apoia métodos que sejam eficazes e seguros para o produtor. “A Faes defende sempre o uso da tecnologia disponível para o produtor. Se determinado método é mais eficiente, ele deve ser incentivado e não proibido de ser utilizado”, disse.

Para fazer uso da tecnologia, o produtor deve atender algumas exigências legais como não pulverizar a menos de 500 metros de vilas e cidades e 250 metros de córregos e grupamentos de animais. Após contatar uma empresa cadastrada para prestação desse serviço, um engenheiro agrônomo realiza uma visita à propriedade e avalia o cumprimento dos pré-requisitos da legislação em vigor.

Segundo o engenheiro agrônomo e coordenador de aviação agrícola, Felipe Diniz, após a realização do serviço, a empresa encaminha um relatório operacional contendo todas as informações do serviço para o produtor. Essas mesmas informações são repassadas ao Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) e ao Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf).

“No relatório operacional constam a área aplicada com mapa georeferenciado, os parâmetros climatológicos do momento da aplicação e a cópia do receituário agronômico do produto utilizado, assinado pelo engenheiro agrônomo responsável, além dos nomes do técnico agrícola responsável pela manipulação dos produtos, do piloto agrícola responsável pela aplicação e do dono da área”, completou o especialista.

No Espírito Santo, o preço médio do serviço é de R$ 70/hectare, variando de acordo com a distância das áreas a serem executadas e da pista de pouso para abastecimento.

VANTAGENS DA PULVERIZAÇÃO AÉREA
• Menor quantidade de defensivos agrícolas;
• Maior precisão na aplicação em melhores condições ambientais;
• Evita o contato do aplicador com o produto;
• Evita derrubada de grãos e compactação dos solos;
• Evita disseminação de pragas e doenças;
• Não amassa as plantas;
• Economia de aproximadamente 370 litros de água por hectare;
• Regulamentada por lei;
• Fiscalizada pelas esferas federal, estadual e municipal.
FONTE: Agrolink
NOTÍCIAS RELACIONADAS
VER TODAS

Cadastre-se e receba gratuitamente as atualizações do Foco Rural em seu e-mail

Após o preenchimento de seu nome e e-mail, clique no botão CADASTRAR. Você receberá um e-mail para confirmação do cadastro. Caso não receba o e-mail, verifique sua Caixa de Spam. O recebimento de nossa newsletter depende da sua confirmação. Confira nossos Termos de Uso.


Cotações de Commodities fornecidas por Investing.com Brasil.
® 2011-2015. Foco Rural – O homem do campo bem informado. Todos os direitos reservados.
DESENVOLVIDO POR:
X
Enviar notícia por e-mail
*Meu Nome:
*E-mail Rementente:
*E-mail Destinatário: